Home ANÁLISES DE MERCADO [Marcelo Fraga Moreira] – Mercado do Café – Rumo a resistência dos 200 dias

[Marcelo Fraga Moreira] – Mercado do Café – Rumo a resistência dos 200 dias

[Marcelo Fraga Moreira] – Mercado do Café – Rumo a resistência dos 200 dias
0
0

MARCELO FRAGA MOREIRA
É um profissional há mais de 30 anos atuando no mercado de commodities agrícolas, escreve este relatório sobre café semanalmente como colaborador da Archer Consulting –
Assessoria em Mercados de Futuros, Opções e Derivativos Ltda.
www.archerconsulting.com.br

Como previsto, e com a ajuda do Real chegando a valorizar +5,57% na semana, os fundos seguiram cobrindo posições (agora estão vendidos em “apenas” 20.000 lotes) levando o mercado para os níveis mais altos dos últimos 3 meses, com o Set-20 fechando @ 108,20 centavos de dólar por libra-peso! Próximo objetivo continua sendo a resistência dos 200 dias @ 113,30 centavos de dólar por libra-peso e suporte nos 101,00 centavos de dólar por libra-peso. No Set-21 a resistência dos 200 dias esta nos 121,30 centavos de dólar por libra-peso e primeira suporte praticamente no fechamento da última sexta-feira, nos 115,90 e nos 110,00 centavos de dólar por libra-peso. Será que vamos chegar lá?

A valorização do Real frente ao Dólar veio de 2 lados: a primeira com o anúncio do pacote europeu de 750 bilhões de Euros, fortalecendo o Euro frente ao Dólar, e a segunda com as expectativas do início dos trabalhos para a nova reforma tributária brasileira. Aliados ao Real mais forte e a cobertura de posição vendida por parte dos fundos tivemos notícias da redução nas exportações de café tipo Robusta do Vietnam e redução nos estoques disponíveis deste produto, atingindo o nível mais baixo dos últimos 18 meses. O Departamento da Agricultura dos EUA (USDA) estima uma redução de -3,5% na produção de café no Vietnam e essa notícia também contribuiu para a puxada do mercado.

O Commerzbank soltou um relatório dando como justificativa ao aumento das cotações do café a alta do Real frente ao dólar e a redução dos estoques certificados disponíveis na Bolsa de Nova Iorque para um número psicológico abaixo de 1,6 milhões de sacas! Porém, também recomendam cautela pois a safra brasileira deverá ser “grande” (acima de 65 milhões de sacas), e não existe risco de geadas até primeira semana de agosto!

O clima no Brasil e América Central segue muito bom, com avanço na  safra brasileira (aproximadamente 70% já colhida) e condições ideais para o final da maturação das próximas safras prestes a começar a ser colhida na América Central! Dessa forma, café existe, disponibilidade de produto existe, e produto novo da safra brasileira já esta voltando ao fluxo normal de exportação. Talvez o blend/consumo Robusta x Arábica necessite ser alterado no curto prazo até que os preços ajustem essa equação, essa redução de oferta/disponibilidade de café robusta no mercado. Novamente, a lei da oferta e demanda deverá ser absorvida facilmente pelo consumidor final.

Ainda existem muitas incertezas com o virus, se vamos ter a segunda onda ou não, se países vão ser obrigados a realizar novas medidas de restrição de movimentação da população, fechamento das fronteiras, se a recuperação econômica vai se sustentar, como o consumo vai se comportar. Enfim, ainda muita incerteza pela frente enquanto a vacina não chegar.

Com os juros brasileiros no patamar mais baixo da história, e os rendimentos com as aplicações financeiras conservadoras praticamente desaparecendo (cdi/poupança) acreditamos que muito dinheiro será investido no campo, nas lavouras, na expansão de área. Produtores seguem capitalizados e os resultados para próximas safras seguem excelentes!

Seguimos baixistas no médio/longo prazo e nossa recomendação continua a mesma: Produtores fiquem atentos aproveitando as oportunidades para garantir preços mínimos em Reais/saca para safra 2021/22 e 2022/23.

Para safra 21/22, com base no SET-21, mesmo com o Real spot negociando @ 5,20 R$/usd, é possível realizar o hedge/proteção com garantia de preço mínimo/máximo entre 690-760 R$/sc, através da compra do PUT SPREAD ** 120×100 centavos de dólar por libra-peso vendendo a Call *** de 130 centavos de dólar por libra-peso.

Para safra 22/23, com base no SET-22, mesmo com o Real spot negociando @ 5,20 R$/usd, é possível realizar o hedge/proteção com garantia de preço mínimo/máximo entre 730-900 R$/sc, através da compra do PUT SPREAD ** 125×105 centavos de dólar por libra-peso vendendo a Call *** de 150 centavos de dólar por libra-peso.

Devido a baixa liquidez para essas estruturas, possivelmente somente será possível realizá-las através de empresas/corretoras independentes. Os “spreads entre bid/ask” (diferença entre a cotação de compra e venda da opção a ser comprada/vendida) costumam ser muito grandes, as vezes mais de 150 pontos. E essas casas costumam oferecer para o “cliente amigo/parceiro” liquidez para essas operações onde toda a margem fica para eles! Então, façam as contas, trabalhem as ordens, e paguem o preço justo!

Cuidado com as operações alavancadas, com os acumuladores, com as estruturas que “aparecem/desaparecem/dobram”!

Boa semana a todos!

0

LEAVE YOUR COMMENT

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *